CAFÉ COM LEITE…

Por Tiago da Cunha Magalhães

Atirada em cima do sofá verde-estranho, continuava com o mesmo olhar desde os últimos três minutos, mexia no fiozinho de lã que saía do rasgão que escancarava o forro bagaceiro do móvel.

No braço do pequeno repousa douro de corpos, sua mochila com motivos infantis demais para eu entender, sutis e educados, bem simples mesmo. Tudo ali representava simplicidade. Seus cabelos eram finos e dourados, curtos, desalinhados. Falava ao celular, sorriso nos lábios, uma caneta também entre eles.

-Tá marcado, então,ela disse.Suas (poucas) roupas evidenciavam algo que eu queria, mas não podia. Queria encerrar logo,ir embora,mas…

 -Desculpe não abrir a porta, estava no celular…

-Tudo bem, ela estava aberta, na verdade,eu…

-Fica a vontade, viu? Vou me trocar e já volto.

-Como eu ia te explicar, eu vim aqui pra…

-Como ficou sabendo de mim? (sua voz vinha de outra peça do pequeno apartamento com paredes descascadas e ocre,) – respondeu ela sem ouvir o que eu tinha pra dizer novamente.

 -Bem, eu nem sabia quem estava ocupando esta sala até que eu precisei… Quando ela saiu da sala lateral, a visão me traiu e ficou turva, depois vertiginosa, e então meus óculos embaçaram me obrigando a tirá-los. Apenas uma pequena camisola fina e transparente separava aquela linda e escultural menina-mulher do ambiente. Mas não era minha intenção, eu não queria. Estava ali para…

– Prazer, meu nome é He…

– Posso te pedir uma coisa?

– Com certeza, o que quiser.

– Sem apresentações, ”adooro” mistério! – e sorriu, o sorriso mais largo e contente que eu havia visto nos últimos parágrafos.

-Tudo bem, também gosto de “mistéério, uhuhu” –  balbuciei meio sem jeito abanando as mãos – na verdade eu não sei bem como é, sempre foi o arroz com feijão e não sabendo seu nome, aí ferrou!

– Deixa comigo, vou te deixar bem a vontade. Modéstia a parte, sou boa com iniciantes, sempre voltam.

-Tudo bem então, mas olha hein, sou meio assim…

– Assim como… – disse ela chegando perto de meu ouvido e falando umas coisas que eu não entendia, mas que fizeram o efeito que ela queria.

– Prefere no escuro ou a meia-luz?

-Como é escuro aqui dentro, não.

– Já reclamei, mas não veio ninguém ver…é sempre assim, uma mulher sozinha, é difícil de conseguir ajuda pra essas coisas do lar…

-Moça, é isso que estou tentando dizer de quando cheguei aqui até agora, sou o dono do prédio, recebi muitas reclamações e estou passando pessoalmente sala por sala para conversar com os locatários, mas em seu contrato dizia ”Prestação de Serviços”.

 – Ai, coitadinho, olha o estado em que eu te deixei. Nem ofereci um cafezinho, aceita? Ou prefere que eu termine o que comecei, aí eu te acompanho. Mas o meu eu quero com leite…

Visitem o site R@dio Bemb@

22 comentários sobre “CAFÉ COM LEITE…

  1. A identificação foi instantânea! Esse título… esse título. Bem, parabéns pela estória. E digo: você me pegou direitinho, ham? Só mais uma coisa: o final poderia ter sido um pouco mais “explosivo” (sahshahsh).

    Curtir

  2. Quer dizer Tiago que em algum lugar, em alguma cidade, uma piriguete com um sofá horroroso e estragado está a disposição de destruir (ou salvar) casamentos? Será que pelo menos ela sabe passar um café “decente”? 🙂 Valeu a postagem!

    Curtir

    1. as vezes elas se escondem,umas tem asas,outras pequenas protuberancias pontudas aos pares acima das sobrancelhas…mas não,elas não salvam nem destroem as unioes…..elas as alimentam,,,,,as vezes tem veneno,mas o antidoto se vende em cinemas,teatros e barzinhos,nas risadas e saidas ocasionais e espontaneas….valeu,adorei tua resposta,,,,,grande abraço…… d-!-b …….

      Curtir

  3. Parabéns Tiago, bom começo por aqui. Belo texto, mas faço das palavras do Pablo, minhas. O fim poderia ter sido um pouco melhor explorado, quem sabe em algumas linhas mais. De toda forma, esperamos por mais. Bem vindo! =)

    Curtir

    1. Obrigado pelas boas vindas,depois d pronto e enviado,tambem achei q poderia ter ido mais longe,,,,na verdade fiquei com medo d ir muito longe e ficar grande demais e cansativo,mas o ‘tiro foi um pouco curto’,,,,,com certeza na próximo acerto a ‘métrica’……muito obrigado pela crítica,pra mim é muito importante…. d-!-b ….

      Curtir

  4. Seu Barriga nunca teve essa sorte no seriado do Chaves, ou era a Dona Florinda ou a Bruxa do 71…. esse café eu tomava mesmo que fosse Nescafé e o leite desnatado… adorei o: ” …e sorriu, o sorriso mais largo e contente que eu havia visto nos últimos parágrafos.”
    Genial, Tiago!

    Curtir

  5. Boa! Mamãe sempre disse, meu filho se não quiser ficar sozinho, vai ser dono de imóveis…

    O mais importante para qualquer obra está presente e evidente aqui: a originalidade! Parabéns rs. Se me permite um adendo axo que o final podia ser mais explorado, um desfexo à altura do hilário embaraço da cena…

    Curtir

    1. Putz,cara….a cabeça viaja demais,quando me vejo……..PUF,,,,sou um dos personagens….começo a enxergar o local,os cheiros,textura das coisas,e vivo a historia,,,,rsrsrsrs,,,,,adendo sempre bem vindo e assimilado,,,,,,obrigado pela força,voces são fo…….abraço….

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s