RESENHA: ASTRO CITY – VOL. 4 – O ANJO MACULADO

Por Henry Garrit

Depois de cumprir uma pena de vinte anos, Carlie Donewicz é liberado e está livre para retornar para sua antiga vizinhança na Praça Kiefer. Acontece que Carlie é o “ex-vilão” conhecido como “Homem Blindado de Aço”, que após um experimento conduzido por um cientista inescrupuloso teve sua pele permanentemente metalizada. Hoje em dia, aqueles que ainda se lembram o chamam apenas de “Blindado” e embora tudo o que ele mais queira é uma vida tranquila, velhos parceiros com velhos hábitos voltam a lhe assombrar.

Como de costume, Kurt Busiek escolhe um indivíduo de Astro City e lhe concede todo o protagonismo, deixando as grandes e famosas super equipes de heróis bem como toda riquíssima mitologia criada por ele como pano de fundo para contar sua história, na qual os cidadãos dessa metrópole vêm vão, nunca sem deixar sua marca, senão no próprio mundo em que vivem, ao menos para nós como leitores.

Dividido em sete partes, o arco “Anjo Maculado” trata de uma grande conspiração envolvendo a morte de “Máscaras Negras“, como são conhecidos os agentes superpoderosos da Praça Kiefer, uma área pobre da cidade, comumente esquecida pelas autoridades, onde vez por outra algum cidadão que consegue desenvolver habilidades super-humanas acaba se tornando um criminoso de aluguel, vendendo seus serviços para quem pagar mais, geralmente com a mediação de Donnely Ferguson, hoje idoso, mas um notório super vilão dos anos 40 conhecido como “Cobra Escarlate“, orgulhoso de nunca ter sido apanhado por seus crimes.

Enquanto a linha narrativa segue a tentativa do recomeço da vida do Blindado na Praça Kiefer, (fazendo algumas pausas importantes ao destacar as histórias dos personagens El Hombre e Falsa Tartaruga), um mistério maior se acomoda nos bastidores. O roteiro segue minucioso ao mostrar as tentativas dele em tentar se reinserir na sociedade mesmo com todas as limitações impostas a um ex-detento incapaz de ocultar sua aparência metalizada e portanto sendo sempre alvo de olhares e comentários maliciosos. Somente após várias tentativas frustradas, Carlie aceita o trabalho proposto por Ferguson, que é exatamente descobrir quem está matando os Máscaras Negras e pará-lo de uma vez por todas. Embora não seja um detetive, e nem se considere muito esperto, aceita após um argumento inegável: Se tudo der errado, ele é o que mais tem chances de sobreviver. O interessante é que os contratantes, são os próprios moradores da Praça Kiefer, esposas, filhos e companheiros dos Máscaras Negras mortos e muitos deles acabam tendo parte de suas histórias mostradas, humanizando ainda mais a sua dor.

Se a premissa lembra vagamente Watchmen ao nos mostrar um misterioso assassino de “super pessoas”, as semelhanças terminam por aí. Apesar do mistério sobre a identidade do responsável ser um dos grandes motes da trama, segurando nossa atenção até o fim, a mesma toma rumos muito distintos da obra de Alan Moore e Dave Gibbons, que apesar de certos eventos trágicos e a (suposta) tentativa de nos mostrar como seria se os superseres existissem na vida real, não tem o mesmo cinismo, fazendo de Astro City o oposto de Watchmen e ao mesmo tempo uma HQ espetacular, levando em consideração os fatores que as distinguem, principalmente o fato de Watchmen ter sido uma minissérie fechada e Astro City pensada como um título mensal.

Brent Anderson segue como o desenhista oficial e grande parceiro de Busiek na composição da HQ, com uma arte que não segue o “padrão Image” dos anos 90 apesar de ser seu contemporâneo, mas é convincente, assertiva e também muito bonita. O encadernado vem com diversos “extras” mostrando alguns processos de criação e o entrosamento entre Busiek, Anderson e Alex Ross, que além de produzir as capas de todas as edições, também se envolveu com a concepção visual de trajes e personagens.

Repleto de reviravoltas, com escolhas inteligentes e magistral desenvolvimento, este volume apenas reafirma Astro City como uma das mais inovadoras e necessárias histórias em quadrinhos de super-heróis de todos os tempos.

ASTRO CITY: O ANJO MACULADO foi publicado no Brasil pela Panini em um encadernado reunindo as edições 14 a 20 de Astro City Vol. 2.

Se liga no Santuário e não perca nenhuma resenha de ASTRO CITY:

Vol. 1 – Vida na Cidade Grande

Vol. 2 – Confissão

Vol. 3 – Álbum de Família

Vol. 4 – O Anjo Maculado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s