RESENHA: DO INFERNO

 

“Não, eu não quero ouvir! Esse papo de sóis e luas não tem a ver comigo! Senhor, isso é magia negra!”

“Ah, ah! Ora Netley. A magia é VERMELHA, pergunte a qualquer druida.”

Por Henry Garrit (Universo Sincronia)

A verdadeira identidade do notório serial killer conhecido como Jack, o estripador nunca foi descoberta, fazendo dele um mito macabro e servindo de combustível para as mais mirabolantes teorias e diversas histórias. Uma dessas versões é a que Alan Moore e Eddie Campbel nos apresentam em sua obra visceral DO INFERNO, com impressionante riqueza de detalhes e invejável pesquisa histórica, construindo assim uma narrativa que sem dúvida poderia ser uma das que mais se aproximam do horror provocado pelo assassino nas ruas de Londres do século XIX, ainda que o próprio autor reconheça, mesmo em sua hercúlea pesquisa, que a identidade real do assassino nunca foi revelada e a história não é sobre isso, mas sim a nossa curiosidade sobre os assassinatos e o que isso diz sobre nós. A própria dedicatória deixa isso claro:

Este livro é dedicado a Polly Nichols, Annie Chapman, Liz Stride, Kate Eddowes e Marie Jeannette Kelly. Vocês e suas mortes: apenas dessas coisas temos certeza. Boa noite, senhoras.”

Vindo de Alan Moore, não é surpresa o alto nível de detalhamento não apenas do ambiente e toda a contextualização da época, como o desenvolvimento dos personagens, abrangendo em muitos casos anos de suas vidas, da infância até a vida adulta com todas as suas dificuldades e conquistas, mostrando-nos a história sob a perspectiva do criminoso ao mesmo tempo que humaniza as vítimas, tornando suas mortes realmente impactantes ao nos aproximar delas, e não apenas as apresentando como efeitos colaterais de um monstro desalmado.

O toque de mestre é justamente a riqueza de elementos e profundo conhecimento sobre a Londres Vitoriana, o que nos proporciona uma verdadeira aula de história, geografia e arte através de seus bairros cinzas e contos macabros, interligados a um pano de fundo que envolve rituais sobrenaturais ou pelo menos a crença neles, e os perigos que tais atividades (sejam elas reproduzidas por seitas, cultos secretos ou igrejas) são capazes de gerar nas pessoas, aprisionando-as mental e emocionalmente, fazendo delas suas escravas fiéis. E apesar dessa bem executada imersão no ambiente, temos no decorrer da história momentos surpreendentes e ousados do roteiro, que mais tarde combinados ao panorama geral, criam um daqueles famosos casos que fazem nosso “cérebro explodir”. 

Não se deixe enganar pela arte “rústica” de Eddie Campbell, sua narrativa visual caminha lado a lado com o roteiro, mostrando elementos não escritos e compondo cenas de extrema complexidade apesar do estilo minimalista. O enredo envolvendo um escândalo na família real unido a mencionada manipulação religiosa acrescenta apenas mais requintes de crueldade ao assassino, cuja identidade, neste exercício especulativo de Moore, não se faz oculta ao leitor, uma vez que a própria trama se sustenta sem qualquer necessidade de artifícios apelativos, construindo-se sobre si mesma de forma consistente, de modo que um “mistério” sobre o nome real do estripador não se faz necessário, indo muito além, com o toque narrativo brilhante de Moore e Campbell que juntos criam um mosaico repleto de morbidez cujas peças são entregues aos poucos, embaralhadas, até enfim revelar o grande painel definido pelos autores, entregando sua inventiva e assustadoramente crível versão da história do odioso Jack, o estripador, cuja trajetória sangrenta acabou de forma contraditória gerando nas pessoas tanto repulsa quanto fascínio

“Ora, por favor. Então, você não sabe que se começam as cartas com o endereço do remetente? ‘Do inferno’, Netley. Escreva aí. Do inferno.”

DO INFERNO foi publicado no Brasil pela editora Veneta numa edição integral em capa dura com 592 páginas.

Quer ler mais sobre os trabalhos de Alan Moore? Links abaixo!

WATCHMEN

WILDCATS – DE VOLTA PARA CASA

WILDCATS – GUERRA DE GANGUES

PROMETHEA VOL. 1

PROMETHEA VOL. 2

PROVIDENCE

NEONOMICON

SUPREMO – A HISTÓRIA DO ANO

FASHION BEAST

O QUE ACONTECEU AO HOMEM DE AÇO?

TOM STRONG

V DE VINGANÇA

A SAGA DO MONSTRO DO PÂNTANO

QUEM TEM MEDO DO ALAN MOORE?

2 comentários sobre “RESENHA: DO INFERNO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s