RESENHA: O ESQUADRÃO SUICIDA (2021)

Por Henry Garrit (Universo Sincronia)

Uma equipe de super criminosos da prisão de Belle Reeve é recrutada por Amanda Waller (Viola Davis), uma oficial do alto escalão do governo dos Estados Unidos para uma missão extremamente perigosa em troca de diminuição de suas penas, e/ou no caso de alguns, na base da chantagem. (Claro que o explosivo implantado na base de seus crânios  acaba sendo um incentivo para que não saiam da linha durante a missão). Assim, os detentos Capitão Bumerangue (Jai Courtney), Mongal (Mayling Ng), T.D.K. (Nathan Fillion) , Dardo (Flula Borg), Doninha (Sean Gunn), Blackguard (Peter Davidson), Sábio (Michael Rooker) e Arlequina (Margot Robbie), liderados pelo coronel Rick Flag (Joel Kinnaman) precisam ir até a Ilha de Corto Maltese onde absolutamente nada sai como planejado, pelo menos por eles.

Ao mesmo tempo uma segunda equipe formada por Sanguinário (Idris Elba), Pacificador (John Cena), Bolinha (David Dastmalchian), Caça-Ratos 2 (Daniela Melchior) e Tubarão-Rei (Steve Agee – dublado por Silvester Stallone), se infiltra em outro ponto da Ilha tendo como objetivo localizar e destruir uma instalação científica conhecida como Jotunheim, onde experimentos com armas biológicas alienígenas vem sendo conduzidos há trinta anos pelo Pensador (Peter Capaldi). Em meio ao confronto com o exército local, ocorre uma sucessão de eventos surreais e bizarros acompanhados de trágicos efeitos colaterais, até que as equipes se encontrem e unam forças com a líder revolucionária Solsoria (Alice Braga), que os ajuda a encontrar o Pensador e invadir Jotunheim.

Sem desconsiderar o filme de 2016 dirigido por David Ayer, a nova versão de Esquadrão Suicida não é uma continuação, mas uma extensão de sua história, funcionando perfeitamente de forma isolada e colocando os personagens numa trama explosiva, imprevisível, violenta e bem humorada. A unificação desses elementos não é novidade para o diretor James Gunn, famoso pelos filmes Os Guardiões da Galáxia 1 e 2, e seu estilo irreverente e marcante dá o tom dessa história, sem a pretensão de ser um “novo clássico do cinema”, apenas (“apenas”?) um ótimo filme, divertido, com personagens cativantes, enredo coeso, boas atuações e efeitos convincentes, que vão do gore à galhofa, de modo a agradar os amantes do gênero, sendo eles fãs ou não dos quadrinhos dos personagens.

A construção (e eventual desconstrução) dos personagens é um dos pontos altos, onde sem se perder em entediantes apresentações, revela o passado de alguns deles de forma dinâmica, usando de efeitos gráficos para ilustrar os flashbacks, mas principalmente, contando histórias interessantes que de fato se mostram relevantes para o andamento do roteiro. James Gunn parece ter bebido da fonte de alguns quadrinhos clássicos, resgatando personagens como Starro, O Conquistador (o primeiro vilão a enfrentar a Liga da Justiça nos quadrinhos), e reformulando outros, antes tidos como obscuros, mas que em seu filme recebem ótimo desenvolvimento e relevância, como a Caça Ratos 2 e Bolinha, por exemplo, protagonistas de cenas ás vezes tocantes e em outras hilárias. Ainda assim, as cenas de maior destaque (sem surpresas aqui) ficam para a Arlequina, que tem de fato uma das melhores sequencias, apesar que o trio de brutamontes formado por Sanguinário, Pacificador e Rick Flag meio que dividem um papel de liderança/importância no filme. Mesmo assim, todos têm tem seus momentos de forma equilibrada.

O Esquadrão Suicida subverte velhas fórmulas, surpreende de forma positiva em vários momentos, se mostrando transgressor e debochado, às vezes (quase) indo longe demais com diálogos e piadinhas gráficas que muitos estúdios evitariam, mas aqui funcionam dentro da proposta do filme que felizmente concedeu ao diretor a liberdade criativa para ousar e fazer deste um das melhores e mais divertidas adaptações de quadrinhos dos últimos tempos.

3 comentários sobre “RESENHA: O ESQUADRÃO SUICIDA (2021)

  1. Será que a Warner aprendeu a lição e vai dar liberdade criativa aos seus diretores de agora em diante? Veremos…

    Não deixem de acompanhar todas as publicações especiais em comemoração aos 10 anos do Santuário!

    Curtir

Deixe uma resposta para Santuário HQ Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s