RESENHA: O UNIVERSO DE SANDMAN – O SONHAR – AS HORAS DE VIGÍLIA vol. 1: O Bardo e os Bardos

Por Henry Garrit

Lindy Morris é uma mãe solteira que defende uma tese acadêmica sobre as contradições históricas entorno de Shakespeare, e com uma vida atribulada, seus sonhos não são os mais tranquilos, o que só piora quando um recém criado pesadelo conhecido como “Ruína” cruza seu caminho com sua própria busca pessoal, envolvendo-a em sua fuga desesperada por um amor impossível e causando graves distúrbios não apenas ao Sonhar, mas ao Mundo Desperto, o Reino das Fadas e até mesmo no Paraíso. Com a ajuda de um querubim, uma feiticeira e seu namorado, Ruína precisa lidar com o descontentamento de seu mestre – Lorde Sonho – e escapar das garras de outros pesadelos, as artimanhas das criaturas de Faerie, salvar a vida de Lindy e se sobreviver, enfim encontrar seu grande amor!

Ufa…

Olhando assim parece complicado, mas o enredo deste primeiro volume (de 2) de As Horas de Vigília é relativamente simples porém muito bem amarrado, conectando novos personagens com elementos clássicos da série Sandman escrita por Neil Gaiman nos anos noventa, fórmula que já havia funcionado na investida anterior comandada por Simon Spurrier (roteiro) e arte de Bilquis Evely (entre outros) mas se ali a história ainda começava a ser estruturada, aqui já se estabelece com pilares bem formados, permitindo a nova equipe criativa contar suas histórias sem que (necessariamente) o Sonhar ou todo o multiverso corra perigo. Esse extremismo (embora coerente com a iniciativa anterior) não faz falta nenhuma, apenas nos lembra que boas histórias com ótimos personagens podem ser contadas de um ponto de vista onde a urgência pessoal de cada um é dramática o suficiente para prender o interesse do leitor, sem que toda a existência esteja prestes a ser extinta.

“Ruína” um dos novos personagens.

É curioso pensar sobre o motivo do título se chamar “O SONHAR” abandonando a alcunha principal de “SANDMAN” (embora mantenha a chamada “O Universo de Sandman“). Acontece que quando Neil Gaiman assumiu o personagem anos atrás, manteve apenas o nome, alterando toda a sua mitologia, usando um par de referências aqui e ali… Logo, é compreensível que a DC prefira vincular mais o nome Sandman a Wesley Dodds, clássico herói da Sociedade da Justiça ou mesmo a Jed Walker na versão criada por Jack Kirby e Joe Simon, porque a história acabou se transformando em outra coisa, e por motivos editoriais, estéticos e de ego não foi possível nomeá-la como ela realmente é: “O Universo de Neil Gaiman apresenta: O Sonhar“.

A roteirista G. Willow Wilson claramente fez muito bem a lição de casa pois sua ambientação e caracterização dos personagens é impecável. Alguns diálogos de Sonho parecem ter sido escritos pelo próprio Neil Gaiman e as similaridades não param por aí, uma vez que da mesma forma, ela constrói um profundo desenvolvimento dos personagens, sejam eles humanos, divinos ou imaginários e ainda assim não perde sua identidade, mantendo os novos personagens em foco, ainda que rodeados por diversos elementos clássicos que fazem interessantes pontos de ligação com o Sandman clássico além de inúmeros easter eggs e participações especiais de velhos rostos conhecidos, por exemplo John Constantine, e a versão de Shakespeare usada por Neil Gaiman, além de Dora, surgida mais recentemente no run de Simon Spurrier.

A arte de Nick Robles é belíssima, transpira sensualidade na medida certa, é contemporânea e repleta de detalhes que ajudam a situar o leitor na história. Javier Rodriguez desenha as duas últimas histórias do encadernado e tem um estilo bem diferente, mas não chega a descaracterizar os personagens, tendo como ponto forte a expressividade impressa neles.

Falando sobre os novos protagonistas, todos têm carisma e representam de forma brilhante a série. Lindy é a humana sonhadora de importância vital à trama, mesmo que suas cenas ocorram em paralelo ao núcleo principal. Ruína é o pesadelo fora da caixinha (literalmente), que não se adapta ao papel que lhe fora incumbido quando criado por Lorde Sonho, se apaixonando pelo rapaz que deveria assustar. Jofiel é o querubim exilado entre os mortais, dono da irrefreável incumbência de ajudar os inocentes, ainda que sua paciência nem sempre seja angelical, e Heather After, que rouba a cena sempre que aparece, a bruxa trans que simplesmente é bisneta de Roderick Burgess, o mago que aprisionou Morfeu por 50 anos. Ainda que seja totalmente avessa aos preceitos de seus ancestrais, mantém a tradição familiar do uso de magia, tendo como mentor o famigerado Jonh Constantine. Heather namora com Todd, que não tem conhecimento de magia ou qualquer atributo sobrenatural, mas acabou se tornando uma peça importante diante dos acontecimentos surreais em que fora envolvido.

Vale muito destacar que a representatividade LGBTQIA+ é algo poderoso nessa história, ainda que ela não seja sobre isso, e é sempre bom lembrar que a série clássica de Neil Gaiman já tratava de forma natural e respeitosa questões de identidade de gênero e orientação sexual lá nos anos noventa, então, estranho seria que em pleno 2021, tais temas fossem abandonados.

Roteiro inteligente, personagens cativantes, temáticas pertinentes… Alguém mais se lembrou dos bons tempos da VERTIGO?

Agora é esperar pelo volume 2 e torcer para o encanto não se quebrar.

O UNIVERSO DE SANDMAN – O SONHAR – AS HORAS DE VIGÍLIA vol. 1: O Bardo e os Bardos foi publicado no Brasil pela Panini em um encadernado com as edições The Dreaming: Waking Hours 1 a 7.

Se liga no Santuário e acompanhe com a gente as resenhas de TODOS os volumes de O UNIVERSO DE SANDMAN!

O SONHAR: VOL. 1 – CAMINHOS E EMANAÇÕES

O SONHAR: VOL. 2 – CASCAS VAZIAS

O SONHAR: VOL. 3 – UM PASSE DE MÁGICA

O SONHAR – AS HORAS DE VIGÍLIA vol. 1: O Bardo e os Bardos

LÚCIFER: VOL. 1 – A INFERNAL COMÉDIA 

LÚCIFER: VOL. 2 – A DIVINA TRAGÉDIA

LÚCIFER: VOL. 3 – CAÇADA SELVAGEM

OS LIVROS DA MAGIA: VOL. 1 – TIPOS MÓVEIS

OS LIVROS DA MAGIA: VOL. 2 – HORA DAS HISTÓRIAS

OS LIVROS DA MAGIA: VOL. 3 – MÁS INFLUÊNCIAS

A CASA DOS SUSSURROS: VOL. 1 – PODER APARTADO

A CASA DOS SUSSURROS: VOL. 2 – ANANSÊ

A CASA DOS SUSSURROS: VOL. 3 – VIGIANDO OS VIGIAS

JOHN CONSTANTINE: HELLBLAZER VOL. 1: MARCAS DA DESGRAÇA

JOHN CONSTANTINE: HELLBLAZER VOL. 2: VOCÊ MESMO, MAS MELHOR

2 comentários sobre “RESENHA: O UNIVERSO DE SANDMAN – O SONHAR – AS HORAS DE VIGÍLIA vol. 1: O Bardo e os Bardos

    1. Muito obrigado, Jarvis! Assim que o segundo volume for publicado teremos uma nova resenha, bem como todos os títulos relacionados ao Universo de Sandman! Enquanto isso, não perca nossas outras matérias sobre os mais variados assuntos! Abração!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s